Divulgação informativa e cultural da Escola Secundária/3 Camilo Castelo Branco - Vila Real

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

Projeto PEPA (Projeto Escolas-Piloto de Alemão)



A professora Paula Seixas, como Coordenadora do Projeto PEPA (Projeto Escolas-Piloto de Alemão), e a professora estagiária Kerstin Krüger participaram, ainda, nos dias 18 e 19 de outubro de 2019, no 7º Encontro de Escolas-Piloto de Alemão - PEPA, que teve lugar no Goethe-Institut de Lisboa, subordinado aos temas “Atividades para a aula de Alemão” e “Técnicas para o Ensino de Alemão”, dinamizado pela Direção Geral de Educação (DGE), em parceria com o Goethe-Institut(GI) e a Associação Portuguesa de Professores de Alemão (APPA).
Esta professora estagiária, de 29 anos, é natural de Hamburgo, Alemanha, e encontra-se a realizar um estágio de três meses na nossa escola, no âmbito do programa alemão “Schulwärts”, participando não só nas atividades da disciplina de Alemão, mas também nas aulas de Inglês e de Educação Física, as disciplinas-base do seu curriculum.




quinta-feira, 17 de outubro de 2019

Mensagem da Diretora-Geral da UNESCO, por ocasião do Dia Internacional para a Erradicação da pobreza - 17 de outubro de 2019


“A pobreza é a pior forma de violência” afirmou Mahatma Gandhi sobre esta causa generalizada de sofrimento e de privação. Hoje em dia, os governos do mundo inteiro tomam medidas e a pobreza não cessa de diminuir, o declínio mais rápido é observado na Índia, no Camboja e no Bangladesh.
Contudo, os nossos esforços não são suficientemente ambiciosos.
Ao ritmo atual de redução da pobreza, não atingiremos o nosso objetivo comum de fazermos com que menos de 3% da população mundial viva em pobreza extrema até 2030. Em vez disso, prevê-se que o valor se aproxime mais dos 6%, o que representa cerca de 420 milhões de pessoas. Além disso, a pobreza afeta de forma desproporcional a África Subsaariana e a Ásia do Sul, onde 84,5% da população vive em situação de privação.
Para compreendermos o fenómeno da pobreza e podermos combatê-la, não basta estudarmos a desigualdade na repartição da riqueza, pois não passa de um elemento entre tantos outros no seio de uma realidade complexa. De acordo com o índice mundial de pobreza multidimensional de 2019, 1,3 bilião de pessoas vivem em situação de “pobreza multidimensional”, o que significa que sofrem múltiplas desvantagens nos domínios da educação, da saúde, da qualidade do trabalho, das experiências culturais, da violência e do bem-estar geral. Metade destas pessoas são crianças com menos de 18 anos, e um terço com menos de 10.
Portanto, temos de ir mais longe e examinar os fatores culturais, ambientais, sociais, espaciais e políticos que são, simultaneamente, uma causa fundamental e um meio de propagação da pobreza.
Este é um elemento essencial do trabalho da UNESCO, principalmente centrado nas raparigas e nas mulheres. A UNESCO utiliza a educação como alavanca pois por cada ano que uma rapariga passa na escola, os seus rendimentos futuros aumentam entre 10 a 20%. Por sua vez, mães instruídas tornarão a escola numa prioridade para as suas filhas. Nesta perspetiva, a nova iniciativa da UNESCO “O futuro da educação” visa transformar a educação para lutar contra a fragmentação e a desigualdade social.
Neste dia, inspiremo-nos em Nelson Mandela que declarou: “Enquanto existir pobreza, injustiça e desigualdades flagrantes no nosso mundo, nenhum de nós poderá descansar verdadeiramente”. A UNESCO, por sua parte, não descansará.

Audrey Azoulay

quarta-feira, 16 de outubro de 2019

Dia da alimentação- 16 de outubro 2019

Os alunos do 11.º E, de Artes Visuais, orientados pela Professora Alcina Gonçalves, realizaram um cartaz alusivo ao dia da Alimentação, que foi afixado na Cantina. Por sua vez, a equipa PES esteve presente na durante a hora de almoço na cantina e sensibilizou os alunos para os bons hábitos alimentares, como comer sopa e consumir fruta, e para a importância de uma alimentação equilibrada.

Equipa PES




Formação de curta duração da Equipa de Saúde/ PES



No dia 15 de outubro, pelas 18h30, no Auditório 1 da Escola Secundária Camilo Castelo Branco, realizou-se a primeira formação de curta duração: «suporte básico de vida: SBV», dinamizada pelo Enfermeiro Carlos Alves, para os professores do Conselho de Turma do 8ºE e pessoal não docente, que teve por objetivo desenvolver competências de todos aqueles que, mais de perto e diariamente, contactam com os alunos.
A paragem cardiorrespiratória (PCR) é um acontecimento súbito, constituindo-se como uma das principais causas de morte em todo o mundo. O SBV (Suporte Básico de Vida) aumenta substancialmente a probabilidade de sobrevivência da vítima quando iniciado nos primeiros minutos após a paragem cardíaca, e consiste essencialmente em duas ações: compressões torácicas e ventilações.
Os formandos aprenderam que, após garantir as condições de segurança do local onde se encontra a vítima, devem verificar se esta está consciente abanando-lhe suavemente os ombros e chamando por ela. No caso de a vítima não responder, considera-se que está inconsciente, avaliando depois se respira, recorrendo à técnica VOS: Ver se o tórax expande, Ouvir a passagem do ar e Sentir a respiração na face.
Caso a vítima não respire, deve ligar-se de imediato o 112 (ou garantir que alguém o faz), recorrendo à alta voz do telemóvel. Depois inicia-se o SBV até a vítima recuperar ou chegar ajuda diferenciada.





sexta-feira, 11 de outubro de 2019

Dia Mundial da Música






Dia Mundial da Música - 1 de outubro - com notas da natureza.
Átrio principal.

Día de la Hispanidad

Chegado o dia 12 de outubro, os alunos de Espanhol da Escola Secundária/3 Camilo Castelo Branco assinalaram, uma vez mais, o Día de la Hispanidad, expressão que  alude ao conjunto de pessoas, países e comunidades que partilham a cultura e o idioma espanhol. Esta data relembra a viagem de Cristóvão Colombo, ao comando de três humildes caravelas: La Pinta, La Niña e La Santa Maria. O célebre navegador e explorador estava, então, ao serviço dos Reis Católicos de Espanha e decorria o ano de 1492 quando avistou o Novo Mundo. A partir de então, anualmente, comemora-se o nascimento de uma nova identidade, produto do encontro e fusão dos povos originários do continente americano e dos colonizadores espanhóis.
Em 2014, a Organização das Nações Unidas (ONU) declarou o dia 12 de outubro como o Dia da língua espanhola, o que significa um elemento mais de união entre os dois lados do oceano Atlântico.
Com a intenção de aproximar a comunidade escolar à cultura hispânica, as turmas de Espanhol expuseram os seus trabalhos alusivos ao tema.
No refeitório, contámos novamente com a simpatia e o profissionalismo de toda a equipa, que preparou um delicioso menu de inspiração espanhola: primeiro prato, um «caldo gallego», segundo prato, «paella valenciana»; sobremesa, «crema catalana».
Os alunos e as professoras de Espanhol agradecem a todos aqueles que «navegaram» consigo.





sexta-feira, 4 de outubro de 2019

Dia Mundial do Professor


Mensagem conjunta de Audrey Azoulay, Diretora-Geral da UNESCO, Guy Ryder, Diretor-Geral da Organização Internacional do Trabalho, Henrietta H. Fore, Diretora-Geral da UNICEF, Achim Steiner, Administrador do PNUD e David Edwards, Secretário-Geral da Internacional da Educação, por ocasião do

Dia Mundial do Professor 

“Jovens professores: o futuro da profissão”

5 de outubro de 2019


"A arte suprema do professor consiste em despertar o entusiamo pela expressão criativa e pelo conhecimento".



Hoje, seguindo a lição de Albert Einstein, celebramos a experiência, a energia e a paixão dos professores, que são a pedra angular dos sistemas educativos do futuro.

Os professores desempenham também um papel central na regeneração da sua própria profissão. Sem uma nova geração de professores motivados, milhões de alunos serão privados, ou continuarão a ser privados, do seu direito a uma educação de qualidade. Torna-se muito difícil atrair e reter talentos naquela que é uma profissão mal paga e subvalorizada. As taxas de abandono escolar disparam a nível mundial, em parte devido à precariedade do emprego e às escassas oportunidades de desenvolvimento profissional contínuo. Além disso, faltam recursos para as crianças com necessidades educativas especiais, com deficiência, refugiadas e alunos multilingues.

Hoje, é urgente agir. Os números disponibilizados pelo Instituto de Estatísticas da UNESCO (IEU) são preocupantes: o mundo precisa de cerca de 69 milhões de novos professores para alcançar o estipulado pela Agenda 2030 para a Educação. As desigualdades mundiais poderão agravar-se, tendo em conta que 70% dos países subsaarianos enfrentam uma grave escassez de professores, percentagem que ascende aos 90% no ensino secundário. 

Estes problemas são ainda mais prementes nas zonas rurais e nas zonas afetadas por crises nos países em desenvolvimento. Os professores, em particular as mulheres, correm risco de isolamento e violência, o que provoca um fluxo de professores para áreas urbanas, deixando as escolas rurais com falta de pessoal.

Para contrariar esta situação, o papel central dos professores no alcance dos Objetivos de Desenvolvimento foi reforçado na Conferência Mundial sobre Educação da UNESCO e no 11.º Fórum de Diálogo sobre políticas do Grupo Internacional sobre docentes para a Educação 2030. Para tal, os sistemas educativos precisam de reformular a forma com recrutam, formam, motivam e retêm as mentes mais brilhantes para o ensino do século XXI.

Os media e as novas tecnologias devem ser instrumentalizados para elevar a profissão docente e demonstrar a sua importância para os direitos humanos, para a justiça social e para as alterações climáticas. Os governos devem também melhorar o emprego e as condições de trabalho.

Esta questão é ainda mais urgente tendo em conta a escassez de jovens candidatos para substituírem os 48,6 milhões de docentes que atingirão a idade da reforma na próxima década.

Com o tema: "Jovens professores: o futuro da profissão", reconhecemos a extrema importância de reafirmar o valor da missão dos professores. Instamos os governos a fazerem do ensino uma profissão de primeira escolha para os jovens. Também convidamos os sindicatos de professores, de empregadores do sector privado, de diretores de escolas, as associações de pais e de professores, as estruturas de gestão das escolas, os funcionários do setor da educação e os formadores de professores a partilharem os seus conhecimentos e experiências com vista a promover o surgimento de um corpo docente dinâmico.

Acima de tudo, celebramos o trabalho de professores dedicados no mundo inteiro para que, todos os dias, continuem a envidar esforços de forma a garantir que "a educação de qualidade, inclusiva e equitativa “e a promoção de "oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos" se tornem uma realidade universal.

sexta-feira, 27 de setembro de 2019

Celebramos o Dia Europeu das Línguas!


Na Escola Secundária /3 Camilo Castelo Branco, tal como por toda a Europa, todos os alunos são encorajados a aprender mais línguas.
Assim, celebrando o Dia Europeu das Línguas, na semana de 23 a 26 de setembro, os Departamentos de Línguas Românicas e Germânicas, em articulação com a Biblioteca Escolar, promoveram o plurilinguismo, com base na convicção de que a diversidade linguística é uma via para alcançar uma maior compreensão intercultural e um elemento-chave da riqueza do património cultural da Europa.
Neste ano, os trabalhos dos alunos foram desenvolvidos considerando a ideia «Ser Europeu é…», tendo sido construídas flores contendo mensagens, nas diversas línguas, alusivas à importância de ser e permanecer europeu.
Com esta atividade, pretendeu-se contribuir para a formação pessoal dos alunos numa perspetiva holística e interdisciplinar, sabendo que comunicar em outras línguas traz benefícios para a saúde mental, vida social e também constitui um grande diferencial na carreira profissional das pessoas.

Sabes que…
  • Na Europa existem 225 línguas autóctones (aproximadamente 3% do total mundial)?
  • Existem 24 línguas oficiais na EU?
  • Existem cerca de 60 línguas minoritárias ou regionais?
 







terça-feira, 25 de junho de 2019

7.º A - Poesia no espaço


Mar Verde

Com um céu azul infinito
Parte isolada na cidade
Esta mensagem transmite
Amor, paz e tranquilidade.

Com um céu azul desmedido,
Salpicado de amarelo
Nesta estação do ano
É o local mais belo!

A Serra do Marão
Imponente de se ver,
Parece ser o patrão
De tudo o que aqui existe:
Dos passarinhos a cantar,
Das borboletas a voar,
Das abelhas a polinizar,
Do Sol a brilhar,
Da brisa a soprar,
E do rio a gemer
Porque as pedras o magoam,
Mas ninguém isso vê.

Um viaduto, umas casinhas
A cidade a regressar?
Nem por isso,
Aqui existe magia,
Existe um perfume no ar!

Este é o sítio
Da verdade e da pureza.
Do amor? Com certeza!
Da verdade e da beleza.
É um mundo melhor
Sem sofrimento nem dor.
Mas será o mundo do futuro?
Não sei. Ninguém sabe,
Mas sei que é um mundo
De pura realidade!

Carolina Alexandre


Sentei-me num banco
olhei a cidade,
fixei o meu olhar 
e vi simplicidade.


Fico espantada           
olho ao meu redor          
é uma brisa suave que me toca 
é a voz do rio Corgo que me chama.

Penso melhor no que o tempo nos deixou,   
como aquelas casas cobertas de raízes
que perdidas recordam os seus tempos felizes.


Matilde Tomé        



O rio que me traz saudade 
do mar e a sua liberdade
Mas o verde desta paisagem 
Traz-me uma bela miragem

Retrata a dor não sentida
de uma tristeza amiga
A liberdade fechada
que no meu coração está trancada

Tenho medo que isto acabe
pois nesta poluição 
nada tem salvação. 

Mafalda Pereira


Agora olho para o meu fim
No meio das pessoas sem alma
Queira ou não vou ficar assim
Espero é que o tempo tenha calma

No meio destes trevos
Tento encontrar a minha sorte
Mas só encontro os medos
Quando olho o cemitério e vejo a morte

Maria Clara Silva, nº13


Natureza
Aqui na natureza
Não há igual
Tudo o que ouço
É um pardal

No rio corgo,
Temos as nossas águas
Que passando pelo vale             
Perfuram o grande “arvoral”

Todos sabemos
Que nada é igual
Aqui  em Vila Real

Rodrigo Matos

A paisagem do Corgo
Ao longe consigo ver
uma paisagem a valer
natural e industrial
nada tem de igual.

O rio Corgo está a correr
e a cascata a descer
olhando ao redor
uma paisagem cada vez maior.

A natureza é silêncio
amor e liberdade
para além da sociedade.

A natureza é magia.
É ela que domina
e ilumina.

Anabela Pereira
  
A paisagem mais bela
Consigo ver à minha frente
uma paisagem especial
E tudo o que me vai na mente
É que não existe nada igual

Toda a natureza
Observada num local
Não há tanta pureza
Em todo o Vila Real

Nesta paisagem bela
Tudo consigo ver
Como se Deus pegasse numa tela
Que nunca parasse de preencher

Inês Quaresma

À minha frente
O Sol a poente
Dá luz às plantas
Do cume do monte ao chão
Vejo esta paisagem esverdeada
Vejo tudo e não veja nada
Todas as plantas iluminadas
Sem nenhuma exceção

É silêncio?
Não, é a Natureza
Tenho a certeza
Não há igual
Neste verde imenso
Nesta bela paisagem
Vejo a imagem
De Vila Real

Pedro David Silveira
  
Vila Velha

Sob nuvens de lã pura 
Ouve-se o rio cheio de pressa…
 Paisagem linda como pintura.

Casas de um tempo antigo
Abrigadas na floresta,
Ao som de canto de pássaros
Vejo apontamentos de giesta.


A civilização, no seu reverso
Deixou uma marca relevante
Mas sem tirar o brilho
Desta paisagem exuberante


No ar paira o cheiro a primavera,
Viajamos sem destino em escarpados pensamentos,
Ficando perdidos algures...
Algures, além dos tempos.

Rita Dinis Peixoto