Divulgação informativa e cultural da Escola Secundária/3 Camilo Castelo Branco - Vila Real

terça-feira, 25 de junho de 2019

7.º A - Poesia no espaço


Mar Verde

Com um céu azul infinito
Parte isolada na cidade
Esta mensagem transmite
Amor, paz e tranquilidade.

Com um céu azul desmedido,
Salpicado de amarelo
Nesta estação do ano
É o local mais belo!

A Serra do Marão
Imponente de se ver,
Parece ser o patrão
De tudo o que aqui existe:
Dos passarinhos a cantar,
Das borboletas a voar,
Das abelhas a polinizar,
Do Sol a brilhar,
Da brisa a soprar,
E do rio a gemer
Porque as pedras o magoam,
Mas ninguém isso vê.

Um viaduto, umas casinhas
A cidade a regressar?
Nem por isso,
Aqui existe magia,
Existe um perfume no ar!

Este é o sítio
Da verdade e da pureza.
Do amor? Com certeza!
Da verdade e da beleza.
É um mundo melhor
Sem sofrimento nem dor.
Mas será o mundo do futuro?
Não sei. Ninguém sabe,
Mas sei que é um mundo
De pura realidade!

Carolina Alexandre


Sentei-me num banco
olhei a cidade,
fixei o meu olhar 
e vi simplicidade.


Fico espantada           
olho ao meu redor          
é uma brisa suave que me toca 
é a voz do rio Corgo que me chama.

Penso melhor no que o tempo nos deixou,   
como aquelas casas cobertas de raízes
que perdidas recordam os seus tempos felizes.


Matilde Tomé        



O rio que me traz saudade 
do mar e a sua liberdade
Mas o verde desta paisagem 
Traz-me uma bela miragem

Retrata a dor não sentida
de uma tristeza amiga
A liberdade fechada
que no meu coração está trancada

Tenho medo que isto acabe
pois nesta poluição 
nada tem salvação. 

Mafalda Pereira


Agora olho para o meu fim
No meio das pessoas sem alma
Queira ou não vou ficar assim
Espero é que o tempo tenha calma

No meio destes trevos
Tento encontrar a minha sorte
Mas só encontro os medos
Quando olho o cemitério e vejo a morte

Maria Clara Silva, nº13


Natureza
Aqui na natureza
Não há igual
Tudo o que ouço
É um pardal

No rio corgo,
Temos as nossas águas
Que passando pelo vale             
Perfuram o grande “arvoral”

Todos sabemos
Que nada é igual
Aqui  em Vila Real

Rodrigo Matos

A paisagem do Corgo
Ao longe consigo ver
uma paisagem a valer
natural e industrial
nada tem de igual.

O rio Corgo está a correr
e a cascata a descer
olhando ao redor
uma paisagem cada vez maior.

A natureza é silêncio
amor e liberdade
para além da sociedade.

A natureza é magia.
É ela que domina
e ilumina.

Anabela Pereira
  
A paisagem mais bela
Consigo ver à minha frente
uma paisagem especial
E tudo o que me vai na mente
É que não existe nada igual

Toda a natureza
Observada num local
Não há tanta pureza
Em todo o Vila Real

Nesta paisagem bela
Tudo consigo ver
Como se Deus pegasse numa tela
Que nunca parasse de preencher

Inês Quaresma

À minha frente
O Sol a poente
Dá luz às plantas
Do cume do monte ao chão
Vejo esta paisagem esverdeada
Vejo tudo e não veja nada
Todas as plantas iluminadas
Sem nenhuma exceção

É silêncio?
Não, é a Natureza
Tenho a certeza
Não há igual
Neste verde imenso
Nesta bela paisagem
Vejo a imagem
De Vila Real

Pedro David Silveira
  
Vila Velha

Sob nuvens de lã pura 
Ouve-se o rio cheio de pressa…
 Paisagem linda como pintura.

Casas de um tempo antigo
Abrigadas na floresta,
Ao som de canto de pássaros
Vejo apontamentos de giesta.


A civilização, no seu reverso
Deixou uma marca relevante
Mas sem tirar o brilho
Desta paisagem exuberante


No ar paira o cheiro a primavera,
Viajamos sem destino em escarpados pensamentos,
Ficando perdidos algures...
Algures, além dos tempos.

Rita Dinis Peixoto     






sexta-feira, 21 de junho de 2019

“À Descoberta dos Territórios de Ribacôa”

“À Descoberta dos Territórios de Ribacôa”
Nos dias 20, 21 e 22 de março de 2019, o 8º D realizou uma visita de estudo aos territórios de Ribacôa. Foram três dias preenchidos por uma grande variedade de atividades: oficinas de ciência, observação e interpretação da paisagem, observações astronómicas, caminhadas de exploração, exploração de aldeia medieval, exploração de gravuras rupestres, observação da vida selvagem… Tudo isto em pleno património mundial da UNESCO no interior de Portugal, entre os rios Douro, Águeda e Côa, com Espanha sempre perto e a disciplina de geografia sempre presente.
A preparação desta saída de campo iniciou-se em setembro de 2018, correspondendo a um desafio que foi lançado à professora de geografia, que era também a diretora de turma, pela Plataforma de Ciência Aberta, sediada em Barca D’Alva. Aos ingredientes de uma saída de campo de três dias, este desafio juntava um acampamento, encontros com a ciência, muita exploração e muita interação com alunos de outras escolas. No primeiro dia, os nossos alunos emparelharam com uma turma do agrupamento de escolas da Meda, no segundo realizaram algumas ações com colegas do agrupamento de escolas de Vila Nova de Foz Côa, no último foram acolhidos pelos alunos do 9º ano do agrupamento de escolas de Figueira de Castelo Rodrigo. 
O relatório desta visita e os materiais produzidos foram premiados pela Associação Portuguesa de Geógrafos http://www.apgeo.pt/premio-apg-2019-saida-de-campo-estudo
A distinção destina-se a premiar professores de Geografia que utilizam as saídas de campo como elemento didático e pedagógico de apoio ao conhecimento do território e à compreensão dos conteúdos curriculares lecionados.
As visitas de estudo são uma porta da escola para a realidade. Deve estar sempre aberta!







terça-feira, 18 de junho de 2019

Cidadania e Desenvolvimento – Atividades


3º Período – Cidadania e Desenvolvimento -7.ºA

Projeto Dress a girl around the world – Juntos ajudamos mais!”: contribuição de diversos materiais e trabalhos realizados pelos alunos e encarregados de educação e contribuição para a compra de uma máquina de costura. A enfermeira Joana Rodrigues, responsável pelo Atelier de Costura Solidária de Vila Real, agradeceu aos Encarregados de educação, alunos  diretora de turma e outros docentes a excelente colaboração no Projeto Dress a girl around the world.

Projeto “Dia Internacional da Biodiversidade ”, dinamizado pela docente Nélia Miranda, encarregada de educação do aluno João Miranda, número onze do 7º A – Construção de Origamis: tsurus, em exposição no átrio da escola e em parceria com o trabalho desenvolvido com a turma do 9º I, cujo tema foi ” Ambiente e Biodiversidade”.

Exposição de trabalhos sobre o “Bem-estar animal”, no átrio da escola. (turmas do 7º ano)

7º A e 7º D

Dia 7 de junho: “ Festa da Solidariedade”, CNIS – Confederação das Instituições de Solidariedade”: a XIII Festa da Solidariedade, iniciativa que a Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS) promovida desde 2007 em parceria com as Uniões Distritais, percorrerá o distrito de Vila Real, passando por vários concelhos. No dia 7 de junho, na Praça do Município de Vila Real, com a presença do ministro Vieira da Silva, a Chama da Solidariedade, escoltada essencialmente pelos bombeiros, chegou ao ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social que acendeu a pira solidária: “ a chama da solidariedade é algo que alimenta e dá razão de ser e estímulo e esperança ao trabalho de milhares de portugueses …”

 A Chama da Solidariedade foi a protagonista da Mostra Escolar do concelho de Vila Real, momento para mais de 800 crianças das escolas locais, com a presença dos alunos do 7º ano (turmas A e D) da Escola Secundária/3 Camilo Castelo Branco, que partilharam, com alegria e dedicação o sentimento e o valor de ser solidário.
7º D e 7º E
27/05 / 2019
Ação de sensibilização sobre “Bem-estar animal: adoção responsável e não ao abandono”, dinamizada pela Plataforma Proanimal, com apoio de uma FAT (Família de Acolhimento Temporário que disponibilizou cachorros resgatados de um caixote do lixo que estarão disponíveis para adoção). Foi destacada a importância da esterilização, de gatos e cães, como estratégia básica de combate aos maus tratos, abandono e morte dos animais.
Exposição de trabalhos sobre o “Bem-estar animal”, no átrio da escola.
7º D
Exposição de trabalhos sobre o Segurança e Prevenção Rodoviária”, no átrio da escola, dinamizada pelas disciplinas de TEA (Técnicas de Expressão Artística) e Cidadania e Desenvolvimento.
7º E e 7º F
09/05/2019
Atividade: “ A Cuscas Esteve na Camilo” - Encontro com o escritor e apicultor Paulo Santos, na Biblioteca da Escola, sensibilizando a comunidade para a enorme importância destes seres no desenvolvimento, diversidade e sustentabilidade do nosso planeta.  
16/05/2019
Ação de sensibilização sobre Lei Tutelar Educativa dinamizada pelo membro da Unidade Especial de Polícia – Corpo de Intervenção da Força Destacada no Porto – Gilberto Alves, encarregado de educação do aluno Daniel Alves, número 8 do 7º C. Nesta ação foi abordado, entre outros itens,  o bullying e o cyberbullying : como prevenir e como intervir.
23/05/ 2019
Ação de sensibilização sobre “Segurança e Prevenção Rodoviária” dinamizada pelo Agente Fernando Ribeiro da Escola Segura e pelo Inspetor da Polícia Judiciária, Manuel Chantre, encarregado de educação da aluna Lutgarda Chantre, número 11, do7º C.
27/05 / 2019
Ação de sensibilização sobre “Bem-estar animal: adoção responsável e não ao abandono”, dinamizada pela Plataforma Proanimal, com apoio de uma FAT (Família de Acolhimento Temporário que disponibilizou cachorros resgatados de um caixote do lixo que estarão disponíveis para adoção). Foi destacada a importância da esterilização, de gatos e cães, como estratégia básica de combate aos maus tratos, abandono e morte dos animais.
Exposição de trabalhos sobre o “Bem-estar animal”, no átrio da escola.
  


Bem-estar animal: adoção responsável e não ao abandono”



Segurança e Prevenção Rodoviária.

 A Chama da Solidariedade.




Lei Tutelar Educativa.

Dia Internacional da Biodiversidade .


segunda-feira, 17 de junho de 2019

Mensagem da Diretora-Geral da UNESCO, Dia Mundial de Combate à Desertificação e à Seca



“Juntos, cultivemos o futuro”

A seca, as alterações climáticas, a erosão da biodiversidade, a degradação dos solos, as práticas agrícolas intensivas e a má gestão da água, entre outros, afetaram negativamente os nossos solos ao ponto de chegar à atual crise mundial de desertificação, que afeta mais de 165 países em todo o mundo.
Esta crise acarreta consequências dramáticas para o nosso património ambiental comum e representa uma ameaça significativa para a paz mundial e para o desenvolvimento sustentável.
Segundo o Relatório Mundial da Plataforma Intergovernamental de Política Científica sobre Biodiversidade e Ecossistemas (IPBES), apresentado na UNESCO a 6 de maio de 2019, é urgente adotar medidas coletivas para preservar o tecido vivo do nosso planeta. Assim, é preciso tomar medidas imediatas contra a desertificação e a seca, pois é, , a nossa responsabilidade para com as gerações futuras.
A desertificação e a seca agravam a escassez de água num momento em que dois mil milhões de pessoas ainda não têm acesso à água potável, um número que poderá atingir três mil milhões até 2050. As comunidades mais vulneráveis do mundo não conseguem satisfazer as suas necessidades básicas, facto que as leva a migrar para fora das suas terras que se tornaram secas e estéreis. Segundo a Convenção das Nações Unidas de Combate à Desertificação, 135 milhões de pessoas no mundo inteiro podem ver-se obrigadas a migrar até 2030, devido à degradação dos solos. Estas migrações e privações são, por sua vez, fonte de conflito e instabilidade, demonstrando que a desertificação é um desafio crucial para a paz.
Todos os anos, no dia 17 de junho, celebramos o Dia Mundial de Combate à Desertificação e à seca , com o objetivo de sensibilizar o público para os esforços internacionais desenvolvidos com vista à neutralização da degradação dos solos, graças às ferramentas de cooperação científica, à resolução de problemas e ao forte envolvimento das comunidades no terreno. A UNESCO tem estado na vanguarda deste esforço coletivo apoiando-se nos seus programas científicos e promovendo programas relativos à água e ao ambiente.
Por este motivo, encontrar soluções para a seca e para a escassez de água, seja ela natural ou provocada pelo homem, foi um dos principais temas da Conferência Internacional sobre a água que decorreu na UNESCO, nos dias 13 e 14 de maio de 2019. Esta conferência incentivou ao estabelecimento de um compromisso amplo e concertado com vista à implementação de uma estratégia mundial para responder aos desafios do acesso à água e respetiva governança, antecipando e mitigando os efeitos negativos na paz mundial, no desenvolvimento sustentável e na solidariedade internacional.
A UNESCO ajudou os seus Estados Membros a fazer frente aos desafios e problemas de gestão relacionados com a seca, através do reforço das capacidades humanas, das orientações políticas e das ferramentas existentes. A este respeito, importa referir os sistemas de monitorização de secas e os sistemas de aviso para as populações locais africanas, o desenvolvimento de um atlas e de observatórios da seca que permitem determinar a frequência e a exposição das populações locais à seca assim como a avaliação das vulnerabilidades socioeconómicas e a elaboração de indicadores de seca com vista à criação de políticas na América Latina e nas Caraíbas.
Trabalharmos juntos é crucial. Progresso algum pode ser alcançado no combate à seca e à desertificação sem a participação de todos os agentes: autoridades públicas, agentes do setor privado, cientistas, associações e comunidades locais, especialmente os seus jovens.
O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável “Proteger a Vida Terrestre” só poderá ser alcançado através de uma perspetiva pluridisciplinar, global e inclusiva podemos alcançar permitindo assim uma inversão do processo de desertificação que está a ameaçar a humanidade.
Juntos, cultivemos um futuro sustentável, respeitando os nossos solos, preservando a sua abundância e a sua beleza e trabalhando para promover soluções inclusivas.

Audrey Azoulay



sábado, 15 de junho de 2019

Dinamização da leitura na Galiza

Os professores João Costa e Lúcia Estrela realizaram uma ação de dinamização da leitura em Língua Portuguesa no Instituto IES Indalecio Peréz Tizón, em Tui, no dia 13 de junho.
Esta iniciativa teve como objetivo a promoção da leitura e a divulgação da língua e cultura portuguesas, uma vez que esta instituição apresenta  a língua portuguesa como opção na oferta escolar.



quinta-feira, 23 de maio de 2019

Da aula de Português vejo...

Produção escrita realizada na aula de Português - 7.º A - Aula no espaço da Vila Velha.
Professora Cecília Mouta.


O Mar de Vila Real

Dizem que o mar é azul
Um azul da cor do céu
Mas o mar que daqui vejo
É verde  e é muito meu.

É o verde da minha terra
Desta terra onde eu nasci
O mar azul é dos outros
O verde pertence aqui.

Aqui o azul é do céu
Com nuvens de algodão
Ao fundo temos o rio
Que é como uma divisão.

Do lado de cá há casas
e Muito mais confusão
Mais barulho e movimento
E também poluição.

Eu estou sentada num banco
Junto de uma trepadeira
Foi uma aula diferente
A desta segunda-feira.

Beatriz Nunes







Dia Internacional da Diversidade Biológica


Mensagem da Diretora-Geral da UNESCO por ocasião do
Dia Internacional da Diversidade Biológica

22 de maio de 2019

No dia 6 de maio a Plataforma Intergovernamental de Política e Ciência sobre a Biodiversidade e os Serviços de Ecossistemas, o “Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC) da biodiversidade”, anunciou, na sede da UNESCO, o primeiro relatório intergovernamental de avaliação mundial sobre a biodiversidade.
Este relatório histórico recorda-nos a necessidade urgente de agirmos juntos em prol de uma biodiversidade, para as gerações futuras. 
A biodiversidade é o tecido vivo do nosso planeta, a sua diminuição coloca em risco a contribuição vital da natureza para a humanidade, afetando economias, meios de subsistência, a segurança alimentar, a saúde, a diversidade cultural, a qualidade de vida e constitui uma forte ameaça para a paz e para a segurança mundiais.
As atividades humanas são, em grande parte, responsáveis por esta erosão. É, por isso, essencial mudarmos a nossa visão e o nosso comportamento em relação à biodiversidade.
Atualmente, dispomos do conhecimento científico necessário para esta transformação. Podemos igualmente recorrer ao conhecimento e às práticas indígenas e locais, que são valiosas fontes de soluções.
A celebração deste dia internacional em 2019 tem por objetivo sublinhar a contribuição essencial da biodiversidade do nosso planeta para a saúde do ser humano e, em particular, para a sua alimentação. A UNESCO comemora este dia, promovendo as práticas e os conhecimentos das redes de sítios comprometidos com o desenvolvimento sustentável, nomeadamente a Rede Mundial de Reservas da Biosfera, os sítios do Património Mundial e a Rede de Geoparques Mundiais. Ao prestar homenagem aos conhecimentos e às técnicas que respeitam a biodiversidade, visamos promover interações positivas entre as culturas e a natureza, os seres humanos e outras espécies no mundo vivo.


sexta-feira, 17 de maio de 2019

Viajando pelo Sistema Solar


Após terem despertado para a astronomia, com o projeto contra a poluição luminosa “Vamos apagar as luzes para acender as Estrelas”, desenvolvido no ano letivo 2017-18, os alunos da turma OSOS (Open Schools for Open Socities) da Escola Secundária/3 de Camilo Castelo Branco, agora no 8ºD, em articulação com os colegas do 7ºF, lançaram-se num projecto de leitura.
O projeto tinha como objetivo desenvolver competências não só de leitura, mas também de escrita e de expressão oral, tendo por base conteúdos de astronomia e astrofísica.
Independentemente de poderem explorar um conjunto imenso de recursos, os alunos das duas turmas leram, autonomamente, pelo menos um livro entre os vários que existem na biblioteca da ESCCB sobre esta temática. As obras poderiam ter um caráter científico ou literário, desde que o assunto se relacionasse com a astronomia ou astrofísica.
Posteriormente, os alunos de ambas as turmas reuniram-se numa sessão de partilha de leituras, leitura em voz alta de conteúdos seleccionados e leitura de textos produzidos pelos próprios. O tema escolhido foi o Sistema Solar.
Paralelamente, os alunos do 7ºF construíram um protótipo tridimensional do Sistema Solar, tendo sido constatadas as dificuldades em construir o modelo à escala.
Daí resultou a ideia, que está em fase de desenvolvimento, de propor à autarquia local a construção de um modelo do Sistema Solar à escala da cidade.
As famílias também acompanharam este projeto, quer incentivando os educandos nas pesquisas, quer acompanhado as leituras em casa, quer ainda mostrando elas próprias interesse na apropriação de conhecimento científico nestas áreas.
Uma última nota para referir que a participação das duas turmas neste projeto começou por ser concebida com base no projeto Ler+Espaço, uma iniciativa resultante de uma parceria entre o Plano Nacional de Leitura 2017-2027 (PNL2027), o Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA) e a Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL). Tratava-se de um concurso nacional, no qual acabámos por não participar por nos termos afastado significativamente das orientações metodológicas propostas.





 Texto e Vídeo: Graça Pinto