Divulgação informativa e cultural da Escola Secundária/3 Camilo Castelo Branco - Vila Real

domingo, 29 de abril de 2012

A mentira

Textos produzidos a propósito do estudo de "Falar verdade a mentir".

Penso que a mentira não é a melhor maneira de fazer as coisas. Por vezes, as pessoas mentem para se defenderem ou para se desculparem, mas isso não é necessário. Uma coisa é mentir, assim com uma desculpa “pequenina”… outra coisa é uma desculpa “grande”.
Ao mentir só nos enganamos a nós próprios, talvez tenhamos medo de dizer a verdade, de nos mostrarmos a outras pessoas, outras vezes será para nos “safarmos”, como se costuma dizer. É verdade que a sinceridade absoluta não é possível, mas tentar dizer a verdade, mostrar realmente quem somos, é um bom ponto para começar.
A mentira permanecerá, por mais que nós não queiramos, no nosso quotidiano, pois faz parte das nossas vidas. Mas apesar disso andará cá sempre a verdade para combater a mentira, umas vezes ganhará a verdade outras vezes ganhará a mentira, só o tempo o decidirá.
Se não mentirmos, a nossa vida será verdadeira e melhor, as pessoas confiarão em nós e serão nossas amigas, pois já sabem, lá no fundo, quem nós somos realmente.
Ao mentir prejudicamo-nos a nós e aos outros!

Diogo Moutinho
8ºB


A mentira é um ato considerado muito feio mas, às vezes, é só para ocultar a verdade a alguém, para não ferir.
Mentir é uma forma de sairmos de onde não nos queremos meter, todavia há sempre quem use a mentira como autodefesa para não ficar atrás dos outros e, então, mente porque pensa que vai ficar mais confortável consigo mesmo, mas isso nunca resulta porque sente-se desconfortável na sua consciência.
Muita gente mente sem razão, sem se aperceber do que está a fazer, acabando por se meter numa complicação de onde já não consegue sair e, não raro, em vez de dizerem a verdade ainda mentem mais afundando-se mais.
Outros mentem para protegerem a sua vida pessoal, e há quem minta para proteger o amigo, o familiar ou um conhecido e até pode acontecer mentirmos por uma pessoa que não conhecemos.
Todos nós já mentimos por qualquer razão possível, e tem que ser assim mesmo, tem que haver mentira e verdade mas a verdade deve sempre superar a mentira.

Ana Margarida C. Barros
 8ºB, nº2


Eu acho que mentir é muito feio, ou melhor, é horrível. Todas as pessoas mentem, os pais mentem aos filhos para os proteger e para não os magoar, pelo contrário os filhos mentem aos pais para não levarem sermões.
Os mentirosos só devem ser desculpados se estiverem mesmo arrependidos, caso contrário, poderão repetir o ato. Mentir, às vezes, é uma necessidade e não se deve mentir se não for mesmo preciso.
Na minha opinião, mentir não é um vício, se mentirmos algumas vezes não quer dizer que estejamos sempre a mentir. Muitas vezes, só dizemos mentiras para nos desculparmos de coisas que não fizemos ou nos esquecemos. Mentir a nós próprios também é mentir, não nos devemos enganar porque seremos sempre nós as vítimas.
O dia 1 de Abril deve ser sempre comemorado para que os não mentirosos possam mentir um bocadinho; para os mentirosos esse dia será um dia como os outros, já que eles mentem diariamente.

Catarina Santos
Nº 4, 8ºB


Acho que mentir é um ato feio, que não deve ser feito, penso também, ao contrário de muitas pessoas, principalmente alunos, que copiar nos testes também é considerado mentir, não mentira de “fala”, mas sim, mentira aos professores e pais, ao fazê-los pensar que andamos a estudar, que adquirimos mais conhecimentos e por aí fora.
Apesar de tudo o que os pais nos ensinam, eles também mentem, toda a gente mente, até os mais inocentes e sinceros.
O dia 1 de Abril é um dia em que as pessoas não mentirosas, isto é, as pessoas que não têm o hábito de mentir podem saber qual a sensação de enganar os outros.
Mesmo que mentir seja feio, não acho que seja um ato condenável, acho, sim, que as pessoas devem ser repreendidas pelo que fizeram, apenas para não voltarem a errar.

Pedro Gonçalves Almeida de Abreu
Nº 21, 8ºB



Em princípio, a mentira deve ser considerada um ato condenável, porém há mentiras e mentiras…
Por exemplo, as mentiras piedosas são mentiras ditas com o objetivo de não magoar o recetor, digamos assim. Também os pais dizem algumas mentiras, mas são só, e unicamente, para proteção dos filhos.
Já as mentiras que se dizem no dia 1 de abril são para puro divertimento. Uma ideia um bocado estúpida, na minha opinião, mas inteiramente inofensiva.
Das más mentiras não tenho eu de falar. Creio que toda a gente já as conhece, infelizmente…
Há quem diga que são um vício, outros que não… Quanto a mim, não sei. Só sei que umas são ditas por maldade, e outras que, por a situação ser tal, não se podem evitar. Eu compreendo, mas não deixa de ser um mau procedimento.
Decido terminar este texto de opinião com um ditado popular e muito conhecido, que expressa todos os meus pensamentos acerca do assunto: “Apanha-se mais depressa um mentiroso que um coxo”.

Joana Jardim Freitas Soares
Nº12, 8ºE

Eu sou contra as mentiras, mas às vezes gosto de pregar uma na brincadeira.
Mentir é feio porque não se é sincero e honesto com as pessoas e às vezes até nos prejudicamos.
Podemos «magoar» as pessoas com as mentiras, ou até ficarmos sem a sua amizade e depois quando nós estivermos a falar a sério pensam que estamos a mentir.
Penso que se deve comemorar o dia das mentiras, é um dia igual aos outros, só que não podemos acreditar muito nas pessoas nem no que elas nos dizem. Nem eu nem ninguém achamos piada quando estamos a ser «vítimas» de uma mentira.
Eu tento não mentir às pessoas de quem gosto porque também acho que eles não gostam.
Nós somos felizes a mentir aos outros.

Leandro Igrejas
8ºB


sexta-feira, 27 de abril de 2012

Palestra: "A UE - situação atual e cenários futuros"


A sessão das 19:30H será aberta à comunidade local.

terça-feira, 24 de abril de 2012

segunda-feira, 23 de abril de 2012

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Projecto “Entre Margens”,

O projecto “Entre Margens”, no âmbito da sua estratégia de capacitação dos agentes criativos da região, vai realizar uma Master Class em parceria com a [Kameraphoto].
“Entre Margens” é um projecto de intervenção criativa nos centros históricos de 8 cidades da Região do Douro através de exposições de fotografia no espaço público às quais se juntam ainda vários eventos culturais.

“Entre Margens” tem como promotor a Fundação Museu do Douro, autoria da Procur.arte Associação Cultural, tem como parceiros oito municípios da região duriense (Amarante, Lamego, Mirandela, Peso da Régua, Porto, Santa Marta de Penaguião, Vila Nova de Gaia e Vila Real), e é um projecto apoiado no âmbito do QREN ON.2 - Grandes Eventos Culturais.

A Master Class terá lugar de 12 de Maio a 9 de Junho, 5 sábados seguidos, em Peso da Régua e Vila Real, a participação é gratuita, os participantes serão seleccionados a partir do portfólio apresentado.
As inscrições devem ser efectuadas até 30 de Abril.
Os trabalhos realizados poderão ser expostos nas várias cidades parceiras do projecto do “Entre Margens”.

Documentação em:
www.museudodouro.pt/destaques,0,342.aspx


Equipa Entre Margens
nuno.salgado@procurarte.org
producao@procurarte.org

Procur.arte
Rua Frei Francisco Foreiro, 5, 4º
1150-166 Lisboa
Tel: 960 148 113
www.procurarte.org
www.entremargens.org
http://www.facebook.com/EntreMargensDouro

PROJETO LER CONSIGO 2012

No dia 19 de março p.p., a turma F do 10ºAno da ESCCB, de Vila Real, recebeu uma das mais emblemáticas figuras vilarrealenses da educação pré-escolar, Branca Nogueira de Melo, ou simplesmente Branca, como gosta de ser tratada, a primeira educadora da cidade, que abriu as portas do “Jardim” Mundo da Criança há cerca de cinquenta anos.
Levou aos alunos a sua forte personalidade e as vivências riquíssimas que determinaram algumas das suas preferências de leitura, nomeadamente Eça de Queirós, A Cidade e as Serras, e Gonçalo Cadilhe, África acima: a seleção do tema viagem-viagens em discursos distantes determinou a interação criada nesta sessão de leitura do seu regresso à escola.
Ficam registadas, de seguida, as opiniões dos alunos a partir de excertos dos seus comentários: «Adorei a leitura e todas aquelas emocionantes aventuras relatadas no livro.»; «Gostei da apresentação e aprendi muito com as vivências da convidada.»; «Foi uma boa experiência»; «Muita alegria e boa disposição estiveram presentes. Gostei de conhecer a Branca e algumas das obras que a marcaram positivamente.»; «Apreciei, de alguma forma, mais o segundo livro do que o primeiro, talvez por ser mais coincidente com a nossa atualidade. O primeiro livro [A Cidade e as Serras], apesar de ser de uma beleza impressionante, contém alguns termos complicados e relativamente antiquados.»; «Devido a ter lido excertos de dois livros de eras completamente diferentes, foi possível estabelecer comparações. Pessoalmente, preferi a escrita do primeiro livro pois caracteriza-a um certo humor.»; «Fiquei admirado com tamanha sabedoria por parte da nossa convidada.»; «A atividade foi muito enriquecedora no sentido em que nos permitiu contactar com alguém que já vivenciou muita coisa e comparar com aquilo que conhecemos hoje.»; «Gostei do sentido de humor da nossa convidada e do ambiente que criou na sala. Fez uma boa leitura dos excertos que escolheu.»; «Gostei especialmente do segundo livro por abordar assuntos mais recentes.»; «Creio que foi uma experiência interessante pelo confronto de gerações tanto na convivência como nos livros apresentados.»; «A Branca mostrou ser uma pessoa fantástica que adora viver e “curtir” a vida. Gostei muito de a ouvir.»; «Gostei da atividade. Vi que a Branca é uma grande mulher, uma “adolescente” como nós: foi uma interação rica. Só tenho a dizer “Obrigada!
A professora
Maria João Cunha

terça-feira, 17 de abril de 2012

Recital de Música e Poesia


                       Música e Poesia pelos alunos do 8ºA, no Conservatório de Músical de Vila Real.

Fotografia: João Costa

Campanha de recolha de manuais escolares

segunda-feira, 16 de abril de 2012

EMRC - 2º Encontro Nacional do Ensino de Secundário

Mais uma vez os alunos de EMRC da nossa escola fizeram-se representar, pelo seu gosto e aventura e pelas suas convicções mais profundas, no 2º Encontro Nacional do Ensino de Secundário - “Navegar… com a EMRC”- , nos dias 13 e 14 de Abril.
O despertar para um outro olhar…Olhares… Olhares do coração, ver mais longe… foi o desafio para um concurso de fotografia proposto aos participantes que continuavam a ser audazes, criativos e imaginativos ao navegarem pela estrada natural do nosso Rio Doiro, repleto de novidades e potencialidades, desde o Cais de Vila Nova de Gaia até ao Peso da Régua, das suas vidas até ao porto seguro – a família, a nossa escola e os amigos.
Imaginem só…!
Mas que aventura de olhares cheio de vigor e de alegria!

Enviado por Paulo Santos

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Alunos de Educação Moral e Religiosa Católica nos Reales Alcázares de Sevilla


Embrenharam-se na sua sumptuosa beleza, encontraram-se nos seus labirínticos jardins e maravilharam-se…

domingo, 1 de abril de 2012

Daniel Filipe - Campeão Nacional


Neste fim de semana  Daniel Filipe, aluno do 10ºA, obteve o título de Campeão Nacional de Juniores A, na modalidade de pentatlo, apesar de ser apenas Juvenil. Recordamos aqui um momento de concentração do Daniel numa prova de tiro realizada na Semana Camiliana.
Desde já,  Daniel, os nossos parabéns.