Divulgação informativa e cultural da Escola Secundária/3 Camilo Castelo Branco - Vila Real

terça-feira, 31 de março de 2009

Para sempre mãe


Mãe, tudo em ti é especial
Em todos os sentidos,
Em todas as formas,
Com todas as palavras.
Tu és e sempre serás
Mãe…

Ah! Se tu soubesses quanto amo,
A grandeza e o poder deste sentimento!...

Muitas vezes não sei dar-te valor,
Mas tu conheces-me,
E sabes que vivo por ti.

Agradeço-te todos os momentos
Em que me fizeste crescer
E perdoa os erros que cometi
E que te fizeram sofrer.

Um dia irei para longe de ti.
E quando não me sentires
Já não moro mais no teu mundo
Mas estarei sempre contigo!

Catarina Sousa

Semana Camiliana - Prémios de Fotografia

2º Prémio
3ºPrémio

Vencedores do Concurso de Fotografia "Movimento"

1º Prémio- Rita Granjo,11ºF
2º Prémio - Francisco José de Vieira e Brito, 11ºD
3ºPrémio- Francisco José de Vieira e Brito,11ºD

segunda-feira, 30 de março de 2009

Semana Camiliana - Torneio de Damas e Xadrez - Mediateca


Resultados finais do Torneio realizado em 27 de Março de 2009, inserido na Semana Camiliana.
Xadrez
1º João Trindade (7ºE)
2ºJosé Nóbrega (7ºC)
3ºRui Ribeiro (7ºC)

Damas
1º João Sampaio (8ºF)
2ºTiago Brás (7ºC)
3ºMaria Rita (7ºC)

sexta-feira, 27 de março de 2009

"Prémio Camilo" - Resultados



Ana Isabel Esteves de Freitas
1º Lugar

Andreia Filipa Ramos Seara
2º e 3º Lugar

Menção Honrosa

Ana Isabel Esteves de Freitas
Paulo José Tarroso Gomes Fortuna

Andreia Filipa Ramos Seara

Daniela Silva Pinto Fernandes


Visita de estudo à Régua - 8ºA/B

No dia 25 de Março, as turmas do 8º A e B, acompanhadas pelas professoras Lúcia Estrela, Leonor Fortuna, Lucília Minhava e Marília Martins, visitaram o Museu do Douro e as Caves Vale do Rodo.

Museu do Douro - Foto de Marília Martins

Concurso " Os Valores da Nação" - 3º Lugar - 10ºC

José Miguel Cruz, Jorge Miguel Ribeiro, Luís Carlos , Javier Rocha e António Carlos Dias, do 10ºC, classificaram-se em 3º lugar no Concurso " Os Valores da Nação", promovido pelo Regimento de Infantaria nº13.
A entrega de prémios será no dia 7 de Abril, pela 11.30, no R.I 13, no Dia da Unidade.
De entre os 15 trabalhos seleccionados para a avaliação, a nossa escola esteve presente com 11 trabalhos qualificados nas seguintes posições:3º, 4º,5º,6º,7º,9º,11º,12º,13º,14º e 15º.

Camiliana - Miss e Mister Liceu


Luís Gonçalves,11ºA
Melissa Fazendeiro, 11ºG

Dama de Honor - Liliana Ribeiro,11ºF
e Cavalheiro - Valter Peixoto,12ºC

segunda-feira, 23 de março de 2009

Divulgação da "Camiliana" à comunidade extra-escolar

No dia 23 de Março, os alunos de 11º e 12ºanos, José Luís, Kátia Guedes, Joana, Laura Gouveia, Andeia Seara, Ana Freitas e Rui Rodrigues percorreram as ruas da cidade, os diferentes espaços do Centro Comercial Dolce Vita Douro e deslocaram-se ainda à Câmara Municipal, onde foram recebidos pela Vereadora do Pelouro da Educação. Distribuiram desdobráveis com a informação sobre as actividades da Semana Camiliana.
Esta iniciativa foi calorosamente acolhida pela população, estando de parabéns todos os envolvidos.



Fotografias: Laura Gouveia

Programação da Semana Camiliana ( actualizada)

16 a 27 Março 2009

PROGRAMA ACTIVIDADES

16/3/2009
18h 15m
Abertura oficial da Camiliana
Apresentação do Boletim Cultural
Conferência: “Literatura e Ciência” (10h)

24/3/2009
09h 45m
Jogos didácticos – entrega prémios
Concurso leitura 7º ano – entrega prémios

25/3/2009
9h
Ciência no laboratório: experiências (Biologia, Geologia, Química, Física)
Exposição: “Bicentenário do nascimento de Darwin”

10h /15h
Workshop: “Distúrbios alimentares na adolescência”
18h 30m
Palestra: “A importância das Línguas estrangeiras no mundo
actual”

26/3/2009
8h 15m
Planetário - Área de Projecto -12ºC
Apresentação de trabalhos no âmbito da disciplina Área de Projecto: Matemática / Astronomia
Exposição: “Eu Camilo” (Fotografia)
Projecção do filme, “Voando sobre um ninho de cucos” / Palestra “Uma outra visão do mundo”
Projecção de Curtas-metragens
Camilo: Exposição Bibliográfica
Jogo da Astúcia
Concurso de Fotografia
Laboratório Matemática
Exposição sobre Orientação Escolar e Profissional
Exposições: Homenagem a António C. Azevedo - Reflexão sobre excertos da sua obra
Atelier de Desenho (Caricaturas e desenho)
Atelier Artes
Exposição de Trabalhos de Arte

9h
Painéis:“A Educação para a Saúde e a Sexualidade dos Jovens”; “Prevenção do Consumo de Substâncias Psicoactivas”; “As Relações de amigo e a Saúde Social e Mental”; “Estilos de Vida Saudáveis”
Ciência no laboratório: experiências ( Biologia, Geologia, Química, Física )
Feira dos Minerais e das plantas
Exposição: “Bicentenário do nascimento de Darwin”
Actividades Lúdico - Didácticas: “Terra um planeta a defender”
Torneio de Xadrez e Damas
Informática – Sala Aberta
Feira da Informática

10h
Área de Projecto: O Robot. (Apresentação)
Banca de Chás (Medicinas alternativas)
Concurso: Mr e Miss Escola
Tradução simultânea (Francês / Inglês / Alemão)

10h 50m
Missa Pascal Jovem

11h 45m
Palestra: “A Rosa do Encoberto”
14h
Palestra: “Sistemas de Informação Geográfica”
SuperTmatik
Exposição de trabalhos no âmbito da disciplina de Português

15h
Peddy Paper
Peddy Paper com livros
Desporto na escola: Basquetebol 3x3

16h 45m
Exposição: Os papagaios de papel e a geometria

21h
Filme: “Colisão (Crash)”


27/3/2009
8h 15m
Conferência: “Vida por Vida”
Projecção de Curtas-metragens
Atelier de Desenho (Caricaturas e desenho)
Atelier Artes
Exposição de Trabalhos de Arte
Camilo: Exposição Bibliográfica
Jogo da Astúcia
Concurso de Fotografia
Laboratório Matemática
Exposição sobre Orientação Escolar e Profissional
Exposições: Homenagem a António C. Azevedo

9h
Palestra: “Aquecimento Global e Alterações Climáticas”
Visita de estudo ao RIVR
SuperTmatic
Ciência no laboratório: experiências (Biologia, Geologia, Química, Física)
Feira dos Minerais e das plantas
Exposição: “Bicentenário do nascimento de Darwin”
Actividades Lúdico - Didácticas: “Terra um planeta a defender”
Torneio de Xadrez e Damas
Informática – Sala Aberta
Feira da Informática

10h
Peddy Paper com livros
Concurso: “Quem é o melhor Filósofo(a) da Escola?”
Desporto na escola: Corta-mato
Peddy Paper - Inglês
Palestra “Matemática na Construção Civil”
Boccia

10h 50m
Entrega do “ Prémio Camilo ”
Conferência sobre “Astronomia ”

14h
Entrega do Prémios ( Actvidades de Francês)
Workshop: “Pense Indústria”
Jogos Populares
15h
Conferência: “Escola Virtual – Formação de Professores”
Peddy Paper
Jogo Voleibol ESCCB vs CNBS
Jogo Futebol ESCCB vs CNBS

15h 45m
Mesa Gastronómica Anglo - germânica
16h 30m
Recital de música

sábado, 21 de março de 2009

Dia Mundial da Poesia

Foto: Vieira da Costa
Olá!

Olá! É uma palavra simples
Por vezes simpática e divertida;
Outras, arrogante e irónica;
Por vezes amiga,
Outras inimiga;
Umas vezes fiel,
Outras infiel;

Talvez um dia
Essa simples palavra
Retenha apenas o bom sentido…
Ou mesmo só o mau,
Ou talvez deixe de existir…
Nunca se sabe o futuro!
Por mais adivinhos,
Bruxos,
E videntes
Que profetizem,
O futuro será sempre inesperado…

Cláudia, 10º C


Mãe,
Promete-me que vais estar acordada quando eu voltar.
Promete-me que não vais esquecer nada daquilo que passámos.
Promete-me que para ti eu serei sempre aquele ser que acariciaste desde o primeiro minuto de vida.

Sei que é difícil, mas eu cresci.
Vou embora mas levo-te aqui, bem guardada no meu peito.

Escuta-me mãe,
Sempre que sentires saudades, lembra-te que não estou perto apenas fisicamente, eu estou sempre contigo porque tu tens o meu amor guardado dentro do ti.

Eu amo-te!
Amo-te independentemente da hora ou do dia,
Amo-te independentemente da ocasião ou do local,
Amo-te independentemente da meteorologia,
Amo-te eternamente mãe.

Mãe, nunca pensei sentir isto.
A batida do meu coração acelera a cada segundo que passa.

Mãe, eu só quero ouvir-te, a ti,
Só quero ouvir a tua voz.

Mãe, seca as minhas lágrimas e dá-me um abraço.
Mãe, sinto o meu corpo gelado e começo a tremer!

Tenho de ir..
Amo-te, Mãe.

Beatriz

sexta-feira, 20 de março de 2009

Cerimónia de Abertura da Camiliana e apresentação do Boletim Cultural

Numa cerimónia de abertura oficial da Camiliana 2009 realizou-se o lançamento do Boletim Cultural nº15, no dia 16 de Março. Destacou-se a homenagem a António Caldeira Azevedo, um dos fundadores do Boletim Cultural. Neste sentido, foi apresentado um curto filme de Vieira da Costa sobre o poeta, filósofo e escritor. Entretanto, José Castelo Branco, acompanhado à guitarra, leu algumas passagens da obra de António Azevedo, relativas a Vila Real. De seguida, a Drª Hercíla Agarez fez a apresentação da publicação em destaque.
Antes de um Porto de Honra, um grupo de alunos e um grupo de professores juntaram a arte dos sons à arte do texto e da imagem.
Reportagem Fotográfica
João Costa

quarta-feira, 18 de março de 2009

Visita de estudo à FPCEUP

No passado dia 4 de Março, a Escola Secundária Camilo Castelo Branco marcou presença no Dia Aberto da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto.
A visita de estudo, organizada pelas docentes de Psicologia Manuela Graça e Fernanda Botelho, envolveu alunos do 12º ano (turmas D, F, I) e do 11º ano (B, E, H), numa tentativa de fomentar um interesse e curiosidade cada vez maiores pela disciplina de Psicologia e proporcionar o contacto com profissionais desta área de investigação.
Organizados em pequenos grupos, os alunos puderam visitar as instalações da Faculdade de Psicologia (biblioteca, salas de aula, auditórios, gabinetes) e, deste modo, conhecer um pouco acerca dos contextos de ensino e investigação próprios do Ensino Superior.
Esta visita também proporcionou aos alunos o contacto com a dimensão mais lúdica do Ensino Superior, uma vez que a Tuna Académica masculina da FPCEUP encerrou a sessão da manhã com a apresentação de três temas musicais, certamente, do agrado de alunos e professores.
A seguir transcrevemos um excerto do e-mail que nos foi remetido pelo Departamento de Comunicação e Imagem da FPCEUP e que se refere à participação da nossa Escola no Dia Aberto desta Faculdade:
«… a Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação promoveu um Dia Aberto em que participaram cerca de 260 estudantes de diversos estabelecimentos de ensino, nos quais se incluem alunos da instituição que V.Exa representa. O interesse de V.Exa foi muito importante para o sucesso desta iniciativa – este ano, na sua 3.ª edição.
Durante a visita, foram recolhidas algumas imagens, que podem ser vistas no nosso site, na página http://sigarra.up.pt/fpceup/noticias_geral.ver_noticia?p_nr=1849. São momentos que gostaríamos de partilhar convosco, pelo que solicitamos a divulgação junto da vossa comunidade.
Em nome da FPCEUP, gostaria de agradecer a vossa presença e contar com empenho idêntico em futuras oportunidades. Foi um momento de grande aprendizagem para nós, e um estímulo para prosseguir neste caminho de portas abertas à comunidade escolar.»

As professoras
Manuela Graça
Fernanda Botelho

Remember Sammy Jankiis


Ao ver o Memento, a primeira coisa que salta a vista é a estrutura pouco usual da narrativa, fragmentada e sem uma ligação aparente, podemos até pensar que o filme é demasiado confuso e que não vale a pena massacrar o neurónio e vê-lo até ao fim.
Não caiam nesse erro.
A história, que retrata a vida de um doente com amnésia anterógrada (não consegue formar novas memórias), é apresentada fragmentada, em pedaços, com apenas alguns minutos para transmitir a sensação do caos e desorientação que essa patologia deve provocar aos doentes.
O protagonista vive a sua vida através de uma busca de vingança, através do desejo de castigar o assassino da sua mulher, um tal John G.; este é o único objectivo que ele consegue manter e que lhe dá uma certa direcção à vida. E certamente a vida e a demanda de Lenny continuam, processadas pelo hábito e pela rotina, por puro condicionamento, por pura repetição… Para não “spoilar” o resto do filme não vou desenvolver mais a história.
Agora o filme levanta de facto algumas questões verdadeiramente importantes sobre o papel da memória na vida e na personalidade das pessoas:
-O que nos define, o que torna a nossa personalidade única e irrepetível?
-Conseguimos viver sem novas memórias?
-Conseguiremos ser verdadeiramente autónomos, se não nos conseguimos lembrar do que é preciso fazer e do que já fizemos?
Não.
Não.
Não.
Precisamos da memória para podermos assimilar novas experiências, para aprender qualquer coisa, por mais pequena e insignificante que pareça, precisamos de novas experiências para crescermos como pessoas, e precisamos das memórias que fizemos para nos lembrarmos de como vamos reagir às tais novas experiências. Se retirarmos qualquer das memórias, mesmo deixando os outros tipos cirurgicamente intactos, a nossa personalidade não poderá manter-se irredutível.
É possível estar-se vivo mesmo sem cérebro, no entanto, eu pessoalmente não classificaria um estado de pura inconsciência sem retorno, como vida, classificaria como uma espécie de meio-termo, um purgatório entre a vida e a morte. E sem memória realmente não temos bem consciência do que nos rodeia, estaremos possivelmente, se bem que a uma escala inferior, inconscientes? Penso que sim.
A memória é sem dúvida indispensável para qualquer pessoa, para a sua qualidade de vida, para o crescimento, maturação e aprendizagem de qualquer indivíduo, sem ela não podemos ser completos, e sem dúvida que quando a memória falta, falta também sentido…

Mervin Gunda (12º I)

terça-feira, 17 de março de 2009

Poesia

Solidão

Numa noite
Sem estrelas
As nuvens me escondiam
Desconfiadas de tanta dor.

Eu,
Que queria
Apenas a estrela
Mais brilhante do céu,

Eu,
Que lutava sozinha
Contra as trevas
Da noite,

Eu,
Que sofria
Ao ver-te
Nos escombros da noite,

Encontrei-te,
Envolto num grande
Manto de sofrimento
Dando voltas na alma.

Eu,
Que pensava
Ser a única
A sofrer,

Ao ver-te
Naquele piedoso
Tormento,
Chorei.

Mas
Não chorei por pena.
Chorei,
Porque ambos sofríamos sós.


Cláudia Faceira
10ºA

Parlamento Jovem

Rumo a Lisboa
por Bárbara Fontes


No dia 9 de Março, a nossa escola participou, com mais 16 escolas do distrito, na Sessão Distrital do Parlamento dos Jovens - Básico. Este projecto, cujo tema este ano é “Alimentação e Saúde” é uma iniciativa institucional da Assembleia da República, e tem como principal objectivo incentivar o interesse dos jovens pela participação cívica e política.
A Sessão Distrital decorreu no IPJ, com a presença do Governador Civil, do Vice-presidente da Câmara, do Coordenador da Equipa de Apoio às Escolas na sessão de abertura e um elemento do projecto da Assembleia da República. De seguida, os 55 alunos deputados, tiveram a oportunidade de colocar diversas questões à Deputada Paula Barros.
Ao longo de todo o dia, os deputados envolveram-se num entusiasmante debate em defesa das medidas a propor à Assembleia da República.
Os representantes da nossa escola – Guilherme Sousa (9º C), Márcia Rocha (9º D), Joana dos Santos (9ºD), como suplentes - acompanhados por mim, Bárbara Fontes (9ºC) na qualidade de jornalista/repórter e coordenados pela professora Ana Rocha revelaram-se verdadeiros políticos uma vez que o nosso projecto de recomendação foi o mais votado, servindo de base ao projecto de recomendação do círculo de Vila Real. No entanto, o sucesso não se ficaria por aqui já que a nossa Escola foi uma das eleitas para representar o círculo de Vila Real na Sessão Nacional, e o nosso deputado Guilherme Sousa, o porta-voz do grupo.

Deputados Eleitos:
Escola Secundária com 3.º Ciclo Camilo Castelo Branco:
Guilherme Magalhães de Sousa - Porta-voz
Márcia Filipa Ferreira Rocha
Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Vidago:
Henrique Lage Menezes
Guilherme José Esteves Pelayo
Escola Secundária com 3.º Ciclo Dr. Araújo Correia:
José Pedro de Moura Martins
Manuel Jorge Marques da Cruz


Círculo de Vila Real
Projecto de Recomendação à Assembleia da República
Os deputados do Círculo de Vila Real apresentam à Assembleia da República as seguintes recomendações:
1. Implementação de uma disciplina, de carácter obrigatório para o Ensino Básico, de “Educação para a Saúde e Cidadania” com noventa minutos semanais. Esta disciplina será leccionada por um professor responsável, articulada com um grupo multidisciplinar (nutricionista, psicólogo, médico) nomeadamente para desenvolver acções de divulgação dentro da área da saúde. São eliminadas as disciplinas de Formação Cívica e Área de Projecto.
2. Aumentar os benefícios fiscais relativamente à agricultura biológica de forma a permitir o seu desenvolvimento e poder reduzir-se, deste modo, o preço dos produtos, incentivando o seu consumo; aumentar os impostos sobre os fast-food e limitar, gradualmente, a sua venda nas escolas, de forma a diminuir o seu consumo.
3. Criação de uma semana nacional dedicada à alimentação saudável durante a qual se procederia a um amplo debate e à realização, a nível escolar, de palestras e rastreios.

segunda-feira, 16 de março de 2009

The River Banks



My name is Dikembe. I was born in Brazzaville, built on the right bank of the river Congo, the capital of the Republic of Congo. Across the river, on the left bank, is Kinshasa, the capital of the Democratic Republic of Congo. While Brazzaville is very poor, Kinshasa is a wealthy city – at night, it is Kinshasa’s illumination that lights up Brazzaville.
I think that was when it started. The desire for a better life that brought me here must have come from staring at that better life, just across the river, throughout all of my youth.
I moved to Portugal illegally, with a brother-in-law of mine. We travelled for days in crammed trains and little boats, mostly during the night, and we never slept, for the fear of being caught and sent back in humiliation.
Once we arrived, we settled in with other illegal immigrants, in a tiny house with no conditions. They were glad to welcome us and help us find jobs – it was not hard to find work, but people took advantage of our legal status, and we had to take some very bad jobs for very little pay.
After a few years, much discussion and a few frights, we worked up the courage to apply for an immigration visa. We spoke some words of Portuguese and we had finally found honest people who got us decent jobs, unloading crates at the harbour. We had even managed to get a lease of a tiny apartment, and, no matter how small it was, it was ours, where we had our plates and our curtains and our own boxful of dreams. That alone was beautiful.
We sent for our wives a few months later, once things were stable enough for us to say that they would stay.
It has not always been easy to reach out for this life, or to face some people who are not happy with our presence here, but we have tried to be strong. I have two children now, and they have a better life than I did at their age. That is my reward.
Despite all the difficulties that I have faced and all the things that I have lost, I am thankful for what I have gained – and I am, above all, proud to have taken this, so to speak, wide step across the river.
Marta Silva, 11ºH

Zanguei-me com o "e"



Zanguei-me com o “e”, porque nunca tivemos a mesma personalidade.
Sou demasiado diferente para conviver com ele: todas as vezes que nos confrontamos as nossas divergências vêm ao de cima.
A minha instabilidade emocional marca-me, define-me…
Quem não conseguir lidar comigo, quem não me aceitar por aquilo que realmente sou, então é melhor afastar-se. Foi isso que o “e” fez - a intolerância foi superior a qualquer sentimento racional.
Se Portugal foi realmente considerado o país mais tolerante da Europa, onde está a tolerância do “e”?
“E”… tenho um conselho para dar: aceitar os outros como eles são é uma das melhores qualidades que algum dia poderás ter.


Daniela Costa
10º A


É verdade, tive de me zangar com o e. Não foi uma escolha totalmente minha, mas foi a mais acertada.
O e já não era um verdadeiro amigo. Para mim um amigo tem de ser eternamente fiel, o e não o foi. No início articulava os meus textos, depois foi aparecendo demasiado, até que começou a prejudicar a evolução da minha escrita.
Há também outro motivo para eu estar zangada com o e: numa frase, um e nunca vem sozinho, tem sempre segundas intenções (o que eu detesto), vem acrescentar informação, alguma dispensável. Ora, eu não ajo com segundas intenções, sou verdadeira com os outros, portanto exijo às palavras, aos actos, às pessoas que façam o mesmo comigo. O e não o fez.
Foram muitos anos com ele nas minhas composições, de certeza que a minha mão vai desenhar muitos e’s enquanto escrevo, não vai ser fácil desligar-me do e de um “texto para o outro”. Vai ser muito difícil.
É sempre complicado quando tenho de “cortar relações” com alguém porque, apesar de eventuais maus momentos, a minha memória guarda sempre o lado bom. Na minha opinião, há sempre algo de positivo a retirar das nossas experiências ou das relações com os outros – aprendemos sempre, por isso fica saudade.
Eu acredito que tudo tem um fim. A minha “amizade” com o e não foi excepção, acabou agora.



Raquel Moura
10º C

domingo, 15 de março de 2009

Boletim Cultural nº15


Lançamento do Boletim Cultural nº15, dia 16 de Março, pelas 18h15, no Auditório 1.
A apresentação estará a cargo da Drª Hercília Agarez.
Esta iniciativa integra-se na abertura oficial da Semana Camiliana 2009.

PEDDY PAPER COM LIVROS

INTERTURMAS – 7º ANO
Dias 26 e 27 de Março

Dia 26 – Primeira fase: selecção das cinco equipas, uma por turma, que irão estar presentes na final.

* 15h – Prova de selecção das equipas das Turmas A e B
* 16h 45m – Prova de selecção das equipas das Turmas C, D e E
Dia 27 - Segunda fase: prova de selecção da equipa da Turma vencedora, com início às 15h.
Consulta o Regulamento!
Dinamização: Biblioteca da CCB

Vencedores do Concurso de Leitura

Concurso Nacional de Leitura Ler+ 7
Biblioteca da Escola Secundária Camilo Castelo Branco

Vencedores absolutos do Concurso de Leitura:

1º prémio - Andreia Filipa Pereira da Silva Melo, 7º E, nº 16
2º prémio - Joana Nunes Santos Castro, 7º C, nº 11
3º prémio - João Pedro Sousa Claudino, 7º E, nº 9


Vencedores de cada turma:

7º A – Bárbara Vicente dos Santos, nº 4
Maria João Catalão Miranda, nº 17

7º B – Maria Oliveira Coelho, nº 16
Inês Carvalho Silva, nº 10

7º C – Joana Nunes Santos Castro, nº 11
Ana Maria Alfaiate Hortas da Silva, nº 3
Miguel Ângelo Fontelas Cunha, nº 18

7º D – David Joel Dias Costa, nº 6
Cláudia Martins, nº 5

7º E - Andreia Filipa Pereira da Silva Melo, nº 16
João Pedro Sousa Claudino, nº 9


Classificação Final*
Nome Turma Número Ler+ Ler+7 Média Final

Andreia Filipa Pereira da Silva Melo, E, 16, 100%, 87% , 94%
Joana Nunes Santos Castro, C, 11, 93%, 87%, 90%
Alexandra Monteiro Novais,C, 1, 87%, 53%, 70%
Ana Maria Alfaiate Hortas da Silva,C, 3, 87%, 60% 74%
Diogo Filipe Dias Ribeiro,D, 9, 87%, - , 44%
Fábio Daniel Ferreira Santos,E,4,87%, 53, 70%
David Joel Dias Costa, D, 6,80%,67%,74%
David Lourenço Faria,A,7,80%,40%,60%
Inês da Fonte Azevedo, C,9,80%,47%,64%
João Pedro Sousa Claudino,E,9,80%,87%,84%
Maria Ondina Azevedo,C,15,80%,60%,70%
Miguel Ângelo Fontelas Cunha,C,18,80%,67%,74%
Ana Isabel Monteiro Carvalho ,C,2,73%,47%,60%
Bárbara Vicente dos Santos,A,4,73%,60%,67%
Cláudia Martins,D,5,73%,53%,63%
Diana Filipa Borges Nogueira,D,8,73%,27%,50%
Maria João Catalão Miranda,A,17,73%,53%,63%
Maria João Pádua,C,13,73%,40%,57%
Alexandre Daniel Amorim Capelas,A,1,67%,53%,60%
Andrea Pazo,A,2,67%,27%,47%
Débora Andrea Barros Damas,E,3,67%,67%,67%
Ismael Fontelas,C,10,67%,67%,67%
João André Lopes Arcanjo Trindade,E,7,67%,67%,67%
João Pedro Carvalho Gomes,A,12,67%,33%,50%
José Luís Vieira da Nóbrega,C,16,7%,47%,57%
Miguel Ângelo Gomes de Oliveira,C,19,67%,33%,50%
Nuno Ricardo Gonçalves Silva,D,14,67%,-,44%
Ana Sofia Fernandes Lameiras,D,3,60%,47%,54%
André Filipe Faceira Vilela,C,4,60%,47%,54%
Daniel Filipe Pereira Lopes,C,6,60%,40%,50%
Joana Varandas Borges,C,23,60%,-,30%
Liliana Rodrigues Fernandes Pereira,A,15,60%,60%,60%
Luís Miguel Pinto Silva,E,10,60%,53%,57%
Maria Leonor Mourão,C,14,60%,67%,64%
Melissa Brito Varela,C,17,60%,40%,50%
Rui Pedro Ferreira Ribeiro,C,20,60%,20%,40%
Débora Cristina Marques Pereira,D,7,53%,33%,43%
Diogo Pinto Martins,A,10,53%,40%,47%
José Luís Pinto Teixeira Pires,A,14,53%,33%,43%
Maria Rita Lopes Carvalho,C,16,53%,47%,50%
NisankaAmluizKehelKatuweGedara,E,13,53%,67%,60%
Paulo Gonçalves,D,16,53%,-,27%
Tiago Brás,C,21,53%,33%,43%
Armando José Ribeiro Martins,E,2,47%,-,24%
Carolina Cerqueira Lousada,C,22 ,47%,40%,44%
Daniel José Moura de Carvalho,C,7,47%,60%,54%
Michael Barnabé Santos Lopes E 12 47% 27% 37%
Rui Filipe Vilela Silva A 25 47% 60% 54%
António Andrade Baptista C 5 40% 60% 50%
David Mendes A 8 40% 33% 37%
Fábio Pires E 5 40% 53% 47%
Mafalda Catarina Sousa Rodrigues A 16 40% 27% 34%
Susana Boura Teixeira E 17 40% 27% 34%
Vanessa Catarina Ferreira Saavedra E 14 40% 33% 37%
Álvaro Daniel Santos Mesquita E 1 33% - 17%
Catarina Alexandra Santos Teixeira B 4 33% 33% 33%
Diogo André Moreira Alves A 9 33% 27% 30%
Gabriela Teixeira Macedo E 15 33% - 17%
Joana Oliveira A 11 33% 27% 30%
João Pedro Santos Magalhães A 13 33% 40% 37%
Miguel Ângelo Sousa D 21 33% 47% 40%
Pedro Alves A 22 33% 47% 40%
Rita Pinto A 24 33% 47% 40%
Bruno Miguel Teixeira Sousa A 5 27% 60% 44%
Fábio Ribeiro Rodrigues C 8 27% 33% 30%
Filipe Manuel Gonçalves Ferreira E 6 27% 53% 40%
Hayana Matias Leal D 10 27% - 14%
Cristiana Alexandra Dias de Carvalho A 6 20% 53% 37%
João Paulo Ferreira Magalhães Amado E 8 20% 27% 24%
Miguel Alves A 18 20% 47% 34%
Rafael B 23 20% 27% 34%
Rafael de Carvalho D 17 20% - 10%
Ricardo Jorge Morais da Nóbrega C 24 20% 60% 40%
João Pedro Gomes Pereira D 13 13% - 7%
Ricardo Ribeiro A 26 13% 33% 23%
Kevin Theveniaud Manuel E 18 7% 73% 40%
António Pedro Pinto R. Amaral A 3 - 53% 27%
Patrícia Carvalho da Silva A 21 - 40% 20%
Alda Beatriz Marinho dos Santos B 1 - 27% 14%
Ana Paula Moura Cardoso B 3 - 53% 27%
Diogo Cardoso B 5 - 33% 17%
Diogo Castanheira Sousa B 6 - 20% 10%
Diogo Paixão B 7 - 53% 27%
Duarte Sousa B 8 - 53% 27%
Gabriela Sousa B 9 - 53% 27%
Inês Carvalho Silva B 10 - 67% 34%
Joana Filipa Sousa Catalão B 11 - 40% 20%
João Rafael da Silva Carvalho B 12 - 27% 14%
Jorge Malheiros Brás B 13 - 40% 20%
Luís Carlos Maia da Silva B 14 - 27% 14%
Maria H. Barreta Braga B 15 - 47% 14%
Maria Oliveira Coelho B 16 - 80% 40%
Miguel Ângelo Alves Teixeira B 17 -27% 14%
Nuno Augusto B 18 - 47% 24%
Pedro José T. dos Santos B 19 - 33% 17%
Pedro Miguel Ferreira Fernandes B 20 - 47% 24%
Renato Silva B 21 - 60% 30%
Susana Maria Ferreira Maia B 22 - 40% 20%
Telmo José Marçal Marta B 23 - 47% 24%
Nuno André Caetano Silva B 24 - 13% 7%
Afonso Gonçalo Amorim D 1 - 33% 17%
Ana Cláudia Gonçalves Vilela D 2 - 53% 27%
Patrícia Gomes Teles D 15 - 60% 30%

* A classificação final absoluta é o resultado da média das classificações obtidas nas duas provas de leitura (a da 1ª fase do Concurso Nacional de Leitura, realizada em Dezembro, e a do Concurso de Leitura da CCB, realizada no dia 20 de Fevereiro), arredondada às unidades.

Para além dos vencedores absolutos do 7º ano, são também premiados os dois alunos que em cada turma obtiveram as melhores médias das classificações obtidas nas duas provas.
MAIS UMA VEZ, A EQUIPA RESPONSÁVEL PELOS CONCURSOS DE LEITURA
LER+ E Ler+ 7
DÁ OS PARABÉNS A TODOS OS CONCORRENTES!!

quinta-feira, 12 de março de 2009

Parlamento dos jovens - " Camilo" A Escola Vencedora na Sessão Distrital



O “Parlamento dos Jovens” é um projecto da Assembleia da República, em colaboração com o Instituto da Juventude, com o intuito de cativar os jovens para a vida democrática e que tem vindo a ganhar considerável interesse e notoriedade. A participação é dividida em dois escalões: um para os estudantes do ensino básico e outro para os do secundário.
No passado dias 10 Março decorreu no instituto da Juventude de Vila Real a Sessão Distrital, relativa ao ensino secundário, com o tema do “Participação Cívica dos Jovens”.
Participaram 7 escolas do distrito, cada uma com cinco deputados.
A Sessão Distrital contou com a participação ainda de vários elementos representativos das estruturas políticas e educativas, sendo de realçar a da deputada Drª. Paula Barros que respondeu a várias perguntas dos alunos mais curiosos.
A nossa escola, coordenada pelo Professor António Oliveira, foi representada pelos deputados Filomena Esteves Correia Bessa do 11º A e Ana Catarina Correia Areias, Juliana Rego Moucho, Rafael Correia de Sousa Pinto, Ana Cláudia de Carvalho Pereira do 12º A, apresentou um projecto de recomendação intitulado “Consciencialização político-ambiental” (em anexo)
O projecto de recomendação da nossa escola foi o mais votado e servirá de base ao projecto de recomendação a ser apresentado na Sessão Nacional que irá decorrer na Assembleia da República, no próximo dia 26 de Maio.
Também foi a nossa escola a mais votada para representar o círculo de Vila Real na defesa do projecto, pelo que as deputadas Catarina Bessa e Ana Areias irão participar na sessão nacional, tendo sido eleita ainda a deputada Catarina Bessa porta-voz do grupo (uma espécie de líder parlamentar).
A segunda escola mais votada foi a escola secundária de S. Pedro, pelo que dois dos seus deputados também se irão deslocar a Lisboa, para defender o projecto de recomendação do distrito.

Anexo
“Consciencialização político-ambiental”
Os jovens de hoje são os adultos de amanhã. O mundo está em constante mudança e, as pessoas que melhor se abstraem de dogmas e se ligam à evolução (deixando de lado pensamentos retrógrados) são os jovens. Deste modo, é essencial a sua participação na vida política e a sua consciencialização para os problemas ambientais.
A nossa proposta visa, então, a implementação de uma disciplina político ambiental, sendo esta facultativa. Até ao 7º ano, cada turma teria um papel a desempenhar relativamente ao melhoramento do espaço escolar, em termos ecológicos, sendo algumas das actividades possíveis a reciclagem, substituição de lâmpadas e tinteiros, etc. A partir do 8º ano, esta disciplina teria como principal objectivo incentivar os jovens para a vida política, pois é notório um grande vácuo de conhecimento político no seio da comunidade juvenil. Defendemos que a disciplina não deve ser imposta porque é essencial que parta de cada um a escolha de querer saber mais e de evoluir como cidadão: a mudança de valores, não é nem nunca deve ser imposta; tem de ser algo opcional. Por outro lado, apostamos nestes valores porque são os que estão mais de acordo com uma escola e uma sociedade com preocupações ecológicas e ambientalistas; a não aposta nestes valores significaria não estar em consonância com a sociedade e a nossa cultura actual. A imposição desta disciplina alimentaria uma maior alienação dos jovens em relação à vida política. Pensamos, também, que com esta disciplina, muitos alunos poderiam despertar interesse por seguir os seus estudos nesta área.
Tendo consciência do impacto que os meios de comunicação têm na sociedade moderna, acordámos que a criação de um programa televisivo (concurso) teria grande eficácia no nosso objectivo de sensibilização política e ambiental. Neste programa seriam debatidos temas da actualidade entre diferentes escolas, semanalmente, e transmitido numa televisão estatal. À escola vencedora seria concedida uma verba que permitisse a diminuição significativa da pegada ecológica escolar, podendo esta ser também utilizada para toda e qualquer iniciativa ambiental e ecológica.
Medidas propostas:
1ª -Criação de uma disciplina de consciencialização político-ambiental: do 5º ao 7º ano, onde seriam abordados temas relacionados com ecologia e realizadas actividades práticas neste âmbito; no 8º e no 9º ano essa mesma disciplina teria como objectivo consciencializar os jovens para a política.  
2ª -Criação de um programa televisivo onde se debateriam assuntos da actualidade entre escolas e, a que saísse vencedora, ganharia uma verba que contribuiria para melhorar a sua pegada ecológica, que seria medida recorrendo a uma parceria com a câmara municipal.

quarta-feira, 11 de março de 2009

Ser Português

Ser português é sentir a força do passado a empurrar-nos para o futuro. O grande problema é que antes de haver passado para nos orgulharmos, bravos homens tiveram que o construir e, esses sim, são os verdadeiros portugueses que não sabiam, quando empurravam a espada ou quando desbravavam mares, que isso seria imortalizado ao longo dos tempos e que, muito mais tarde, seriam ainda as razões únicas do nosso orgulho.
Temos baixado a cabeça no decurso dos anos, deixando todos passarem-nos à frente e "serem" às nossas custas. Talvez isto seja exagerado, mas revolta-me saber que fomos tanto…E agora somos tão pouco.
É essa revolta (que penso não ser só minha) que me faz acreditar na mudança; porque temos tanto em nós... e a revolução começa quando o homem pensa e pára e se dá conta, ao cerrar a mão, que isto não pode continuar.
Ser português é ter a coragem na veia, a luta no coração, o sonho na alma, o mar nos olhos e a raça em cada poro. O único limite está na linha do horizonte! Inacessível meta que nos faz viajar até morrer, nem que seja em sonhos, em esperança, em ambições...
O Futuro é consequência do Presente, não do passado! Por isso... sou português agora!

Rui Carvalhais Costa, 12°H, nº 19

Exposição OFA - 12ºH








segunda-feira, 9 de março de 2009

Poesia

Adeus, parti...

Nascemos, partimos, sempre protegidos…
Chorávamos e suplicávamos
E sempre havia lá alguém:
O conforto e o bem eram servidos.
Mas chegou a hora da dolorosa partida!


Com o seu belo rosto de anjo, ela olhava,
com esperança,
Uma esperança que me susteve algum um tempo.
O seu olhar dorido doía-me ,
Via na sua íris todas as vivências,
O longo, doce cuidar.


Porém, chegou ao fim.
Percebi que era vinda
a hora de tão ímpia partida.
Tinha que seguir o meu caminho,
novas vivências encontrar.
Olhei para ela e vi
um rosto com sinais de amor.
Amor, e em cada traço da sua face
sobressaía uma tristeza imensa…
Em cada expressão eu via
Aquele apelo a Deus,
Como se uma parte dela


Lhe estivesse sendo arrancada…
Suplicava piedade!
Tortura de sentimentos,
o olhar transformado em lágrimas...
Senti meu coração pequeno
e, já de olhos molhados:
- "Mãe, dá-me asas p’ra voar!
Levar-te-ei como chaga no meu coração
e minha dor revelar-se-á,
sempre que tua face aparecer
nas brancas nuvens!"

Com um beijo cravado na face parti,
sem destino ...
Ainda com o meu coração pequeno
e memórias dos sinais de amor
naquele rosto da minha mãe, tão doce,
segui para o mundo...

Ana Patrícia Martins, nº2, 10º A

sexta-feira, 6 de março de 2009

Dia Internacional da Mulher






Na Escola Secundária/3 Camilo Castelo Branco, não foi esquecida a coragem, o calor, o carinho, a força, a sensibilidade, a doçura que encarnam todas as mulheres.
As professoras e os alunos de Língua Portuguesa, do oitavo ano de escolaridade, lembraram esta data através duma exposição, no átrio da escola, recorrendo a frases elaboradas pelos próprios alunos, imagens simbólicas e flores.
A comunidade escolar participou nesta actividade, escrevendo frases para o concurso “ Ser mulher é…“ e pintando, em telas, a imagem ou frase que melhor traduzissem o “ sentir mulher”.
Foram oferecidos marcadores de leitura, enriquecidos com pensamentos de Madre Teresa de Calcutá, Hellen Keller e Elis Regina, às docentes, auxiliares da acção educativa e alunas envolvidas na actividade.
Parabéns a todas as mulheres que ajudam a construir o quotidiano desta escola.

Ser mulher…


É vestir a vida de cor-de-rosa.
Luís Cabral, 8ºD


É não ter medo de enfrentar tudo e todos para ser ela própria e ser o que ela quer ser.
Rute, 8ºA

É ser respeitada e ser alguém.
Rita Braz, 8º C

É ser mãe.
Inês Cabral, 8ºA

É ser grande e especial.
Inês Oliveira, 8ºA

É ser distribuidora da maior felicidade do mundo.
Telma, 8ºF

É ser resistente.
Sara, 8ºC

É saber sofrer para ser feliz
Bruna, 8ºD

É ser a inspiração da Natureza: o poder da criação e perfeição.
Rita Sousa, 8ºD

É ser a deusa da vida!
Clara, 8º D

É ser exemplo de humanidade.
Marlene, 8ºF

É fascinante!
Joana, 8ºD

É ter direitos e deveres.
Liliana, 8ºF

É extraordinário.
Rita Ramalho, 8ºC

É ser viva e alegre.
Alexandra, 8ºC

É ser o lado feminino da vida humana.
Débora, 8ºD


É ser única.
Inês Caldas, 8ºC

É ser algo que os homens não fazem ideia do que possa ser.
Inês Costa, 8ºC

É dar continuidade à vida.
Sara, 8ºD

É dar sensibilidade ao mundo.
Diana, 8ºD

É criar estrelas e flores num belo paraíso.
Cristiana, 8ºD

É ter muita responsabilidade.
Andreia, 8ºC

É uma dádiva da Natureza.
Filipa Ramos, 8ºA

É poder fazer tudo sem ser julgada.
Marta Carvalho, 8ºA

É a luz da vida.
Irma, 8ºF

É sentir vida dentro de si.
Rafaela, 8ºA

É ser o que sentimos.
Maura, 8ºA

É completar o mundo.
Ana Rita, 8ºD

É ser tudo!
Viviane, 8ºD

É ser um ser humano corajoso.
Mara, 8ºA

É ser a obra-prima, a escultura perfeita de Deus, a perfeição.
João Machado, 8ºA